• Caesar Moura

WILL SMITH E O TAPA GANHADOR DO OSCAR

No último dia 27 de maio completou-se 2 meses do tapa na cara que parou o mundo ocidental: Will Smith (53) agrediu ao vivo, durante a 94º cerimônia do Oscar, no tb ator e comediante Chris Rock (57). Esse último, conhecido pelo humor que faz piada com a crítica politicamente incorreta, comparou Jada Smith (50) - esposa de Will! - a um personagem careca que Demi Moore fez no longa “No Limite da Honra” (1997), querendo insinuar que a aparência de Jada estaria tão masculina que lembraria a de um soldado da Marinha americana. Mas eis o dilema: Jada não está careca para um novo filme ou série, ela não "escolheu" a condição, mas enfrenta uma doença chamada alopecia, potencializada por anos de tratamentos invasivos para os fios dos cabelos. A princípio Will ri da piada para, em seguida a uma troca de olhar com esposa, mudar de humor, dar o tapa e ainda exigir que Chris Rock parasse imediatamente de pronunciar o nome de Jada.


Bem, isso foi o que vimos - incrédulos - ao vivo (e depois reproduzido inúmeras vezes pelas mídias mundo a fora nas semanas seguintes), mas sabemos que não corresponde a toda verdade, muito menos aquela dita por Smith e sua esposa depois do impacto da atitude ter chegado ao ponto máximo: a exclusão de Will das próximas 10 edições do Oscar.


Vamos lá: O tapa foi agressivo? Foi.

Digno de punição? Sim.

Como a que tem sido? Jamais!

Aqui vai a minha versão dos fatos:


O casamento de Will Smith vai mal há anos! Aliás, de negativo na imprensa americana nessas últimas décadas sobre Will Smith só mesmo as controvérsias envolvendo seu casamento, controvérsias essas geralmente ligadas a Jada, como seu temperamento agressivo no Set e entre colegas, sua personalidade publicamente controladora e o julgamento machista sobre seus casos extraconjugais que, segundo o próprio Will, seriam frutos de um acordo matrimonial entre eles. A coisa sempre foi tão séria que seus filhos praticamente se emanciparam, saíram de casa híper cedo e se recusaram a "interpretar" na vida pública o papel de “bom moço” que Will “interpretava” MUITO bem há pelos menos 30 anos, sendo adorado por milhões de fãs no mundo inteiro. Provavelmente o casal já vinha de um clima quente (de casa ou da fase da Pandemia que não foi fácil pra ninguém), Chris fez a piada, Jada não gostou (ela faz uma breve careta - num clima de quem “tá brincando”quando Chris fala seu nome pela primeira vez), Will percebeu e decidiu que ali era hora de “fazer algo sobre o assunto” (a piada de mal gosto de Chris Rock). E foi isso.


Só isso.


FOTO: DIVULGAÇÃO



Mas qual foi a reposta da Academia e do mundo?

1) Primeiro foi chamar a polícia (que só não prendeu Will ali mesmo pq o próprio Chris Rock - sabendo melhor q a gente o q o Will e Jada passam em casa - se recusou a prestar queixa) como os americanos brancos fazem para qualquer negro inocente ou não;


2) Em seguida a membros da Academia decidiram então que Will deveria ser imediatamente expulso da cerimômia, sendo impedidos pelos produtores do evento que sabiamente sinalizaram que a atitude só ampliaria o problema;


3) Mal acaba a transmissão e duas produções protagonizadas por Will são canceladas;


4) No dia seguinte Will Smith assume nas Redes Sociais toda a culpa na clara tentativa de livrar a cara da esposa e dos filhos cuja as carreiras poderiam ter sido diretamente afetadas ficando sozinho no epicentro dos acontecimentos, na melhor linha mártir de seus personagens nos filmes de ação;

5) Na semana seguinte novas produtoras anunciam adiamentos (sem previsão de volta) de produções com Will e notícias de “uma viagem para Índia” (saída clássica de celebridades para situações extremas, na tentativa de insinuar que tudo não passou de um problema espiritual e que um mantra cantado ali na Índia cura), Jada e os filhos seguem em silêncio sobre o caso, mas promovendo seus novos trabalhos a toque de caixa (para deixar claro para o mercado que a família Smith continua nas atividades, afinal, the show must go on);


6) Dois meses depois Jada vem a público dizer que torce pela “cura” do marido (dessa vez tirando o problema espiritual do caminho e insinuando que é mental).

Will Smith errou em dar o tapa? Errou! Mas SINCERAMENTE, vc não acha mesmo essas punições exageradas? Injustas até?


Mas a Sociedade das Redes fizeram do linchamento virtual arma para o aniquilamento social, é como se, com o devido respeito à Smith na comparação, para matar um pernilongo, segundo os internautas, vc precisasse usar um bazuca.


O que me pergunto é: Pq só falamos de Smith como se não tivesse existido motivação alguma para sua - errada ou não - atitude? Pq não discutimos seriamente esse tipo de humor depreciativo? Pq não discutimos sobre as razões que faria alguém como Smith tomar uma atitude daquelas? Pq não discutimos sobre a Realidade impondo-se à falsa cordialidade que aprendemos nos últimos 20 anos a desenvolver na Internet? Pq não discutimos essa positividade tóxica que cobra dos humanos um constante estado de euforia que só é possível com uso de drogas (e por um curtíssimo espaço de tempo)?


Cada vez que leio algo sobre o Will Smith hj acabo lembrando de “Laranja Mecânica” (1971), filme do Kubrick inspirado no livro de mesmo nome onde Alex, o protagonista ultraviolento é torturado por cientista para aprender a ser cordial e dócil. Quando o tratamento faz efeito e Alex é recolocado na Sociedade, todas as vítimas agredidas por ele o atacam de volta de forma ainda mais perversa que o tratamento médico que sofrera, provando que a bondade é só um ponto de vista e não uma entidade viva que anda por aí com os olhos vendados, segurando uma balança em uma das mãos e exigindo justiça com a outra pelos “fracos e oprimidos”. Assim como em “Laranja Mecânica”, escolheram atacar o paciente ao invés de identificar a doença e apresentar tratamento para seus sintomas. Preferimos sair por aí atirando pedras e “silenciando os malvados” em nossas manifestações de mentirinha no Twitter, mostrando assim (pelo menos online) que somos “pessoas melhores”:


Você sabe que é mentira.


Tudo teria sido solucionado com um pedido de desculpas, a exclusão de Will por apenas 1 ano da Cerimônia e um documentário mostrando seu “processo de cura”, cheio de declarações de personalidades (Denzel Washington não poderia faltar, CLARO, já que foi o ÚNICO nessa história toda a gira de maneira impecável tanto na Moral quanto na Éticatica. Mas pra quê exaltar o Bem se a gente sabe o que gera curtidas, né? Mas pra quê simplificar a vida de alguém que por breves segundos foi contra o Sistema - que tantos de nós  dizem odiar - fazendo nos sentir um monte de otários submissos, cordeirinhos, bolsonaristas?


Pra quê?


#willsmith #cinema #oscar2022 #chrisrock #tapa


46 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
IMG_20220623_214009840_processed.png